“Onde está Eckenberger?” é um convite a adentrar o mundo do artista Reinaldo Eckenberger (1938 - 2018) como quem escava e encontra uma amontoado de importâncias e desimportâncias - restos, rastros e retalhos de uma vida. É um convite às arqueologias da invenção, a partir de um acervo de miudezas e grandezas relacionadas ao seu ofício criativo, sua prática intelectual e seu 

universo pessoal. 

 

O projeto surge a partir do encontro com sua casa-atelier, na rua do Passo, número 68, entre o Santo Além do Carmo e o Pelourinho, no centro histórico da cidade de Salvador.  No processo de reunir, organizar, desempoeirar, ver e rever, listar e mapear tudo que encontramos no térreo do casarão onde viveu e produziu durante quase quatro décadas, abrimos espaço para as memórias de Eckenberger emergirem. E assim, inventariamos - e inventamos - os vestígios de uma vida: a vida de um artista imenso, engraçado, profundo e muito simples, baiano e alemão, apesar de argentino, amigo de Juan, Fernanda, Marcela, Marisa, Paulo, Dimitri e tantos outros, sobrinho de Irene e companheiro de Emílio.  

 

Na ocupação do seu atelier, entre janeiro e abril de 2020, adotamos como princípio organizador a dimensão do cuidar, experimentamos modos poéticos de sistematizar um inventário sensível e intuitivo, respeitando os detalhes e suportes que ele mesmo apresentava. Recebemos seus amigos, nos questionamos sobre datas e parentescos, relembramos histórias e nos emocionamos, como não?  

Neste sentido, afirmamos a memória também como ponto de partida para criação. Aqui reunimos uma diversidade enorme de objetos, materiais e pertences de R.E. que foram registrados e digitalizados para compor o “inventário de uma vida”. Nele, além do conteúdo inventariado, apresentaremos depoimentos e textos sobre esse artista, sobre esse enigma: “Onde está Eckenberger?” - em muitos lugares, confirmam as amizades.

 

Coordenação geral: Elena Landinez e Luisa Hardman
Identidade visual e o site: Tanto Criações Compartilhadas
Imagens: Agnes Cajaiba 
Cataligaçao: Camila Alemany
Comunicação: Doris Vega (assessoria de imprensa) e Hori, estudio AGÁ (mídias sociais).  

 

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultural do Ministério do Turismo, Governo Federal.

VISITE O SITE!

press to zoom
1/1